Roteiro IV – Bariloche

Oi pessoal!!Sei, sei que demoro a postar e tal!Acontece que, infelizmente, com trabalho e estudos, acabo por não conseguir atualizar o blog diariamente ou com tanta frequência como gostaria.  Estou fazendo o possível para escrever mais vezes! O texto de hoje é sobre Bariloche. Uma cidade belíssima, super tranquila e distante de Buenos Aires!!!

Chegando em Bariloche.

Decidimos percorrer os 1680 km que separam São Carlos de Bariloche da capital portenha. Pegamos um ônibus da empresa  Via Bariloche. Compramos a passagem no Terminal do Retiro, que fica bem próximo de Puerto Madero. Escolhemos a poltrona Tutto Letto, pois é totalmente reclinável, o que possibilitou mais conforto para encarar as 22 horas de viagem!Pode parecer cansativo, mas as empresas rodoviárias na Argentina fazem de tudo para você esquecer que vai passar tanto tempo dentro do ônibus!

É tratamento Vip, com direito a vinho, champanhe, refrigerantes e demais bebidas. É servido jantar, café da manhã e lanches. Se quiser, pode também conectar por Wi-fi ou assistir aos lançamentos de cinema na TV(detalhe: cada passageiro tem a sua!Assim, você não é obrigado a ver o que o outro quer assistir!).

Agora, vem a parte triste: o preço. O ticket custa 1650 pesos, ou seja, 825 reais (ida e volta).  Mas, se você preferir, pode ir de avião. No entanto, você pagará 400 reais a mais. A vantagem é que você chega lá em duas horas. Eu, particularmente, gostei da viagem de Ônibus. A experiência foi ótima. Além disso, a paisagem é linda. Rende muitas fotos.

No ônibus.

Ainda em Buenos Aires, tentei comprar roupas próprias para frio. Mas, desisti ao ver os preços. São extremamente caras! A segunda pele e a calça não permeável custavam mil reais nas outlets!!! Estávamos muito tensos, porque nunca vimos a neve, nem estivemos em um local tão frio!!!Comprei só uma camiseta, tida como segunda pele. Ela custou 120 reais em uma outlet. Achei tudo muito caro e decidi não comprar nenhuma roupa. Preferi alugar quando chegasse em Bariloche. Para aguentar o frio, usei várias camadas das roupas que tinha!

Quando chegamos, tive uma  grande emoção, sem falar na sorte! Estava nevando! Parecia uma criança vendo a neve caindo na minha mão! Os flocos são iguais aos dos desenhos animados e aqueles enfeites de natal! Após pegarmos as malas, fomos orientados pela Guia turística da rodoviária a comprar uma passagem de ônibus (4 pesos), que nos levaria até a sede do município. O frio era suportável.

Paramos na calle Moreno, em frente ao hotel Eldeweiss.  Em Bariloche, há várias lojas que alugam roupas de esqui. Alugar é bem mais em conta. O aluguel da roupa por 4 dias custou 250 reais. Não fiz pesquisa de preço, pois estava com muito frio!!heheheheh.

No Hostel Inn

Seguimos a pé para o Hostel Inn ( Salta St. 308 ). Para chegar lá, é necessário enfrentar uma ladeira, que aliada ao peso das malas, o peso da roupa de frio e a altitude do local, acaba tornando tudo muito mais cansativo! Ao avistarmos o hostel, mais um desafio: subir os mais de 60 degraus até chegar à recepção do albergue. Não há elevadores! Mas, a vista do Lago Nahuel Huapi da sacada do Hostel compensa (em outro post, eu comento mais sobre o Lago)!!

O quarto é limpo e arrumado. O pessoal que trabalha lá é super gente boa!Fizemos até amizade com os funcionários do hostel! O café da manhã e o jantar eram de graça! A diária no Hostel Inn custou 180 reais (quarto privado, com banheiro privado). O lugar fica bem próximo do Centro Cívico.

Chegamos às 13h do dia 05 de julho e já compramos o passeio para o Circuito Chico, que compreende o Cerro Campanário ( tido como a sétima vista mais bonita do Mundo segundo a National Geographic), a fábrica de óleos e chás de Rosa Mosqueta e Mirante. O passeio custou 380 pesos ( 140 reais). Vale muito a pena!!!

O dia estava lindo! Como tinha nevado, as copas e os galhos das árvores estavam cheios de neve. Cerro Campanário é um passeio maravilhoso! O teleférico percorre os 1060 metros de altura para nos levar até o topo do Cerro, onde há um restaurante ( experimente o Choconhaque e o croissant!!!Deliciosos). A vista é incrível. É possível ver até a divisa do Chile e há uma indicação com todos os cerros.  O passeio do telefério vale 50 pesos.

Cerro Campanário.

Depois, seguimos para a Fábrica da Rosa Mosqueta.  Para quem não sabe, a Rosa mosqueta é uma planta, originada da Europa e Ásia Central. Os óleos e cremes da Rosa são recomendados para tratamentos cosméticos, com propriedade cicatrizante. Também é utilizado no tratamento para rugas, estrias e manchas. No local, experimentamos o chá da Rosa. Não gostei muito, mas serviu para esquentar! De lá, passamos por outros pontos turísticos da região como o Llao Llao, um hotel cinco estrelas de Bariloche. É o mais chique e caro da cidade! A diária do quarto mais luxuoso custa 3 mil dólares (segundo a nossa guia!).

Depois do Circuito Chico, fomos conhecer o Centro Cívico e as ruas comerciais ( Calle Mitre e Moreno). Esta parte da cidade é cheia de chocolaterias, lojas de doces, roupas e outlets.

Ao final do dia percebemos que 3 dias em Bariloche é muito pouco, pois há muita coisa para fazer e conhecer! Recomendo no mínimo uma semana para quem quiser conhecer tudo! Bariloche é uma cidade maravilhosa e, pelo que vi em algumas fotos por lá e na internet, ótima para ser visitada em todas as épocas do ano, não só no inverno!!!.

Argentina – Roteiro III.

Fachada do Cemitério da Recoleta.

Oi pessoal!!!O post de hoje falo um pouco sobre o terceiro dia de viagem na terra dos hermanos!!

Bem..nosso dia começou com uma ida ao Cemitério da Recoleta!!Um passeio ótimoo!Foi um dos que mais gostei!O melhor de tudo: é gratuito! Tem várias guias que mostram um pouco da história da Argentina por meio das personalidades que estão enterradas lá! Sei que pode parecer meio mórbido, mas os túmulos são uma expressão artística. Teve alguns em que os parentes do falecido trouxeram para Argentina artistas franceses para fazerem as esculturas!

Outra coisa que achei bacana foi a iniciativa dos professores de lá, em contar a história do país por meio das pessoas que estão enterradas no Cemitério! Falam dos presidentes que governaram o país e a importância deles para determinado momento histórico.  Para mim, as escolas, em geral, deveriam  realizar passeios com os alunos para que conheçam a história do lugar em que vivem. Fazer uma aula diferente, longe das salas de aula! Acredito que é uma forma de estímulo ao aprendizado dos estudantes!

Inaugurado em 1822, o Cemitério é o mais antigo de Buenos Aires.  Tem 82 túmulos considerados Patrimônio

Flores e placas que homenageiam Evita.

Histórico Nacional.O mais conhecido e procurado é o da Evita Perón, que fica no mausoléu da família dela, a Duarte. Diferentemente dos outras necrópoles, o da Recoleta apresenta os sepúlcros visíveis. Isso mesmo! Os caixões ficam à mostra. É por isso que a maioria dos jazigos tem portas com vitrais! Sei que vocês estão achando estranho, mas acontece que eles embalsamam o morto. O da Evita é uma exceção! O corpo dela foi parafinado.

Próximo ao Cemitério, há um jardim muito bonito. Aliás, os Argentinos incentivam muito a arte. Todos os parques tem uma escultura. É uma iniciativa muito interessante, que vale ser copiada! Em seguida, fomos a pé até a Faculdade de Direito de Buenos Aires. Atrás deste prédio, fica a Floralis Genérica.  É uma escultura metálica, criada pelo arquiteto argentino Eduardo Catalano. É uma flor feita de aço inoxidável, que tem 23 metros de altura. Dependendo da hora do dia, as pétalas podem estar abertas ou fechadas. Depois da Floralis, foi a vez do Museu Nacional de Belas Artes, localizado ao lado da Faculdade de Direito. A visitação é gratuita, mas não é possível tirar fotos dentro do local :(.

Fundado em 1895, o Museu conta com peças de diversos artistas, como Renoir, Cézanne, Rodin, El Greco, Rembrandt, dentre outros.  Dali,  tentamos ir ao Museu de Arte Latino-Americana de Buenos Aires ( Malba),  em Palermo. Infelizmente, tava fechado. Aproveitamos para ir ao shopping Alto Palermo.A noite foi reservada para o show de tango. Há várias casas dedicadas para a dança. Existem vários pacotes.

Floralis Genérica.

No entanto, o melhor é pagar o que tiver o jantar e show. Escolhemos o Sabor ao Tango, com aula da dança, jantar e show. Tudo custou 450 pesos por pessoa ( R$ 225). É caro, mas vale a pena! Quem quiser uma opção mais barata, a dica é ir ao Café Tortoni. Lá também tem shows de tango. E de quebra, você conhece o café mais icônico e antigo de Buenos Aires.

A aula de tango foi muito divertida. Vale a pena fazer! No final, ganha-se até um certificado. O jantar no Sabor ao Tango não é 100%, mas o show é muito bom! Conta a história do tango por meio das apresentações! Antes de começar o show, eles chamam as pessoas para tirar fotos com os bailarinos, mas é caro demais! 80 peso a foto!  O passeio que compramos incluía também o transfer.

Nosso terceiro dia em Buenos Aires terminou em Tango! Como chegava muito cansada, depois de passar o dia inteiro andando sem parar, não fui para balada! BAs é conhecida como point de festas GLS. Para quem sonha em ir para Ibiza, na Espanha, e quer ter uma prévia das festas de lá, tem uma filial da Pacha em Buenos Aires!

Espero que tenham gostado!!!

Fiquem com Deus! E até o próximo post, que será sobre Bariloche!!!! Fiquem ligados!!!! P.S: O vídeo ficou tremido, mas o que vale é a informação! Tinha muita gente em volta e sempre me empurravam para visualizar os túmulos!

Até a próxima!

Argentina – Segundo dia. Roteiro II

Oi  pessoal! Volto com mais um post sobre Buenos Aires!Desta vez, vou falar sobre o segundo dia de roteiro na capital portenha! Desculpem a demora, mas tive dificuldades para acessar a internet, além disso estive muito ocupada com a volta às aulas e com o trabalho.

Fachada da Casa Rosada

No segundo dia de viagem, já que estávamos próximos dos principais pontos turísticos,  na região de Puerto Madero, aproveitamos e fomos a pé para a sede do governo argentino, a Casa Rosada.  O lugar é super interessante e cheio de história. Quando se está lá, você fica pertinho de outros locais bacanas para conhecer e que são muito procurados por turistas. Assim, fica mais fácil fazer um roteiro e segui-lo a pé!

Originalmente, no lugar onde está a Casa Rosada existia a Fortaleza Real de San Balthazar da Áustria.   A atual sede do governo é resultado de uma série de modificações feitas no Forte, que foi construído em 1595.  A Casa só começou a ganhar o formato que tem hoje em 1873, na presidência de Domingo Faustino Sarmiento. Foi ele quem decidiu embelezar a Casa com jardins, além de pintá-la de rosa. Aliás, a cor que leva o nome do prédio deve-se à mistura de cal com sangue de boi. Assim como na Inglaterra e em outros lugares da América Latina, como no Chile, há a troca de guarda. A visitação só é disponível para estudantes, mas no dia da independência, 09 de julho, o lugar estava aberto para turistas.

Em frente à Casa, está a Plaza de Mayo. Famosa por ser palco de protestos, a Praça apresenta este nome por comemorar o movimento social e político que ocorreu em 22 de maio de 1810, que visava a emancipação da Argentina da coroa espanhola. No entanto, sua história começou muito antes, em 1580, com a fundação definitiva da cidade por Juan de Garay.

As palmeiras existentes na Praça são oriundas do Rio de Janeiro. Ao redor do lugar, encontra-se o Cabildo, um museu sobre a história da Argentina, assim como a matriz do Banco de La Nación e a Catedral.

No dia 26 de abril de 1976, várias mulheres foram à Praça de Maio exigirem notícias sobre seus filhos desaparecidos durante a ditadura militar da Argentina (1976 – 1983).  O movimento ficou conhecido como as mães da Praça de Maio. A história delas foi o enredo do longa-metragem La história oficial, de Luis Puenzo, que ganhou o Oscar de melhor filme estrangeiro.

Em frente do Cabildo.

De volta ao roteiro

Da Praça de Maio, fomos à Catedral. Infelizmente, não é possível tirar fotos dentro dela. Quem preferir, pode visitar o Cabildo que fica ao redor da Praça. Seguimos à pé pela Av. Roque Sáenz Peña (Dica: Acompanhe no Google Maps o percurso) até chegar no Obelisco, um dos principais pontos turísticos de Buenos Aires.

O Obelisco é um monumento localizado no cruzamento da avenida Corrientes com a Nove de julho ( por sinal, a mais larga do mundo. É também extremamente longa). Foi inaugurado em 1936 e projetado pelo arquiteto argentino Alberto Prebisch. Esta parte da cidade é bem bacana, cheia de hotéis, restaurantes e casas de tango. Tem telões de led e vários teatros.  Em seguida, fomos pela av. Corrientes para chegarmos à rua São Martin, onde fica as Galerias Pacífico, um antigo prédio construído em 1889, considerado Monumento Histórico Nacional. O lugar é muito lindo. Abriga várias marcas internacionais. Destaque para a pintura da cúpula central, trabalho dos artistas Antônio Berni, Juan Carlos Castagnino, Manuel Comeiro Guimarães, Lino Enea Splimbergo e Demetrio Urruchúa. Ah!!Não esqueçam de provar o maravilhoso sorvete argentino na Freddo. É uma das sorveterias mais tradicionais de lá!Experimentem o sabor de doce de leite (aliás, tudo tem doce de leite por lá!!) O valor de um copo pequeno é 20 pesos, mas vale a pena!!

Depois de bater perna nas Galerias, fomos para a Calle Florida! É a principal rua de comércio em Buenos Aires. Cuero (Coro) por toda a parte. Se você vai para comprar, esqueça!Tudo muito caro!Para encontrar coisas mais em conta só andando muuuuuito!Eu ainda consegui uns achados!Mas, tive uns excessos, principalmelnte, com um tal creme do Mar Morto (Louca por cosméticos!)! Para a mulherada: bolsa de couro da marca argentina Extra Large custa a partir de 200 reais ( na loja, a maioria delas  é deste valor!).  Achei muito cara a jaqueta de couro ( R$ 500), mas sei que aqui no Brasil não sai por menos de mil reais.
Tudo é caro na Argentina, exceto hospedagem, táxi (não achei tão caro) e passeios ( exceto o Tango!!!Você gasta uma pequena fortuna! Comentarei sobre ele no próximo post!). Enfim, não se enganem com o câmbio favorável, porque você vai gastar, principalmente, com comida! Depois de ficarmos horas na Calle Florida, voltamos ao hotel!

Este foi nosso segundo dia!
Próximo post, coloco o roteiro do terceiro dia!!!

😉

Até mais e fiquem com Deus!

Fachada da sorveteria Freddo. Filial da Galeria Pacífico.

Parte da Cúpula da Galerias Pacífico

Fachada da Casa Rosada

Vista do Obelisco.

Toda a Cúpula da Galeria Pacífico.

A terra dos hermanos – Roteiro I

Puente de la Mujer, obra do espanhol Santiago Calatrava. É a único projeto dele na América Latina.

Oi pessoal! Depois de um pequeno hiato, volto com um novo post! No dia 01 de julho, domingo, cheguei em Buenos Aires para uma viagem de 12 dias ( retornei no dia 13 de julho). Infelizmente, não pude postar de lá. O computador travava direto e o hotel em que estive só tinha um computador disponível para todos os hóspedes.  Vou colocar aqui o roteiro diário destes dias na Argentina. Então, segue as minhas primeiras impressões do país:

1 – A chegada

Depois de 10h de viagem, chegamos na capital portenha.  A nossa porta de entrada no país foi o Aeroporto de Ezeiza, localizado a 30 km do centro da cidade. A primeira coisa que fizemos foi procurar o Banco de la Nación, que por sinal é a maior instituição financeira da Argentina. Foi lá que trocamos nossos reais por pesos argentinos. Quando fomos,  um peso equivalia a R$ 0,37. Até então, parecia muito vantajoso. Em seguida, fomos em busca dos remises, o serviço de táxi da Argentina.  É sempre aconselhável pegar um remís do que um táxi avulso, visto que em Buenos Aires circulam muitas notas falsas, principalmente, por meio dos taxistas. O preço do remís de Ezeiza até o centro custa 200 pesos.

2 – Argentinos

Foi a maior polêmica quando postei no Facebook sobre a minha opinião sobre os Argentinos hehehehehe. Para mim, eles são extremamente simpáticos. No entanto, algumas pessoas expuseram que não tiveram a mesma sorte que eu. Comigo eles foram super educados e atenciosos. Gostei muito deles. Desde a chegada até a saída do país,  o tratamento foi muito cortês. Engraçado que no meu primeiro contato com os argentinos houve um certo choque cultural, já que  tanto homens quanto as mulheres, ao se cumprimentarem, costumam dar um beijo no rosto.  Quando vi o taxista dando beijo no rosto em outro homem fiquei surpresa!

3 – Hotel

Fiquei hospedada no hotel Unique, em Puerto Madero. Fiz a reserva pelo decolar.com. A diária custou R$180. Resolvi ficar em hotel em Buenos Aires, mas fiquei arrependida. Prefiro um bom hostel mil vezes. No hotel o tratamento é outro. É mais frio. Já hostel é mais acolhedor, o povo é jovem e descolado (Esta é uma das razões de eu ter gostado muito de Bariloche, que estará em breve nos próximos posts). Além disso, você descobre dicas de lugares mais em conta. Caso tenha vontade de conhecer Buenos Aires, prefira ficar em locais próximos ao centro da cidade, já que todos os pontos turísticos ficam muito próximos um do outro ( exceto Palermo). Puerto Madero e Centro são boas opções.  Quando estiver fazendo seu roteiro, vá ao Google Maps e compare as distâncias do hotel com a dos pontos turísticos, dá para fazer a relação entre andar a pé e ir de carro. Eu fiz isso!

4 – Roteiro – Primeiro dia

Chegamos à noite. Como estávamos em Puerto Madero, para não perder tempo, fomos conhecer os pontos turísticos da região.  Esta área da cidade tudo custa caro. O bairro é cheio de bons restaurantes, com serviços de buffet e as famosas parrillas, o churrasco argentino.  Em geral, os cardápios em Puerto Madero já incluem a sobremesa ( maravilhosas, por sinal!). Vale a pena gastar um pouco mais para ter a experiência de comer em um destes restaurantes que ficam ao longo do canal do Rio da Prata.  Em geral, cada um cobra 80 pesos por pessoa, com comida e sobremesa. Não inclui bebida (aliás, outra coisa caríssima! Uma garrafinha de água custa 7 reais).  Procurei locais baratos para comer, mas é muito difícil. Todos os brasileiros reclamaram a mesma coisa.Voltando ao roteiro, eu recomendo o restaurante Madero Buenos Aires. O atendimento é muito bom e você pode se servir à vontade.

Pontos Turísticos em Madero

Parte da fachada do Cassino de Puerto Madero. Não é possível tirar fotos dentro do lugar.

Depois do jantar, caminhamos pela avenida Alicia Moreau de Justo, uma das principais da região e seguimos para a Puente de la Mujer. Esta obra é do arquiteto espanhol  Santiago Calatrava e representa um casal dançando tango.  É melhor visitá-la à noite que de dia. Fica muito mais interessante, com as luzes .  Seguimos para o cassino, mas começou uma chuva fina. Em Buenos Aires, o tempo muda muito no inverno.  Um dia pode fazer 19 graus, no outro pode fazer 10 e no seguinte dois. No entanto, a sensação térmica é menor, devido à umidade. Então, com a chuva, o cassino parecia mais longe . Pegamos um táxi, que cobrou cerca de 30 pesos.  O Cassino de Puerto Madero é enorme! Imenso! É possível se perder por lá ( nos dois sentidos!) hahahahaha. Eu não jogo, mas para quem gosta de Pôquer é um prato cheio.

Eu achei super tranquilo andar à noite em Buenos Aires.É lógico que é preciso ter precaução sempre! A  cidade tem 3 milhões de habitantes e os turistas são sempre mais visados. A área de Puerto Madero é muito bonita. O bairro foi revitalizado na década de 80, com a Lei da Reforma do Estado.  Puerto Madero tem este nome, não apenas porque era um Porto que recebia navios vindos da Europa no século XIX, mas também por levar o sobrenome do engenheiro Eduardo Madero,  que propôs a construção de 4 barragens fechadas, ligadas por pontes e duas docas, uma norte e outra sul. O projeto foi aprovado em 1884 pelo presidente  Júlio Argentino Roca. Hoje o local tem bares, restaurantes, escritórios, dentre outros empreendimentos.

É isso pessoal! Espero que tenham gostado! 😉

A cidade dos banhos

Vista da parte principal das Termas Romanas de Bath.

Oi pessoal!O post de hoje trata de Bath (banho, em inglês), uma cidade localizada a 160 km de Londres, na Inglaterra, que faz parte do Condado de Sumerset. O local é muito bacana e vale a pena conhecer!!! Super tranquilo  e charmoso, o lugar é famoso por causa da sua história.  Bath tornou-se um sítio turístico, devido aos famosos banhos, construídos durante o Império Romano. Desde aquela época, ou seja, a mais de 2 mil anos, Bath recebe turistas de todos os lugares.

Para quem não sabe, as casas de banho eram utilizadas na Roma antiga para a prática de negócios, lazer e esportes.  Elas tinham sauna e os visitantes poderiam receber massagens dos criados. Para tirar a sujeira e o suor, os escravos usavam um strigil, uma ferramenta antiga para raspar a pele.  Se tiver a fim, você pode tomar banho igual aos romanos! Tem ingressos específicos para esta finalidade.

Considerada Patrimônio da Humanidade pela Unesco, Bath deixa o visitante extasiado com tanta cultura e história. É diferente você ler nos livros ou revistas da sensação de ver ao vivo e a cores! É aprender brincando! Principalmente, ao chegar lá e ouvir, por meio dos audioguias disponíveis, que os banhos existiam desde o povo Celta, que exaltava a deusa Sulis, por meio da criação de um Santuário de águas termais.  Já na época dos romanos, a Sulis equivalia à deusa Minerva. É interessante que, mesmo com a conquista, os romanos continuaram chamando o povoado de acquae sulis.

Uma curiosidade bacana é que o templo romano foi construído ao redor da única fonte de águas termais do Reino Unido. Durante o reinado do imperador Cláudio, a casa de banho de Bath foi dividida em 3 edifícios independentes: caldarium (banho quente), o tepidarium (banho morno), e o frigidarium (banho frio).   Ainda no Santuário é possível conferir de perto as piscinas, em especial, a redonda de água fria, em que se pode jogar uma moeda em oferenda aos deuses como os romanos faziam antigamente.

Como eu gosto de história, fiquei muito tempo no Roman Bath. No período que restou, dei uma volta pela cidade à pé.

Além dos banhos, Bath você pode apreciar a arquitetura georgiana e os museus. Lá, tem ainda o The Royal Crescent, um conjunto formado por 30 casas e um hotel, que virou um dos maiores pontos de referência do mundo. Construído durante o século XVIII, o The Royal Crescent tem uma das casas disponíveis para visitação. Caso tenha oportunidade, não deixe de conhecer as lojas de chocolates! É muito bacana ver o chocolate ser feito na hora para depois poder comprá-lo!

Outra coisa bacana é a Catedral de Bath, que fica bem em frente a Casa de Banho Romano. Muito linda e enorme!

Então, dá para comprar o passeio para Bath com Stonehenge em qualquer hostel! O passeio dura o dia inteiro. Não inclui o preço das entradas dos passeios. 😉

Espero que tenham gostado!

Aprenda idiomas de graça na net

Oi pessoal!!O post de hoje vai ser um pouco diferente, com dicas de sites para aprender idiomas. Todas as aulas são grátis.

A internet é um campo vasto de informação.  Na rede mundial de computadores, você encontra coisas boas e coisas ruins.  É possível aproveitar as possibilidades geradas na cibercultura e aprender com aulas grátis. Tem de tudo!Mas, exige dedicação! Eu coloquei os sites que achei mais explicativos, com dicas bem bacanas para aqueles que não entendem nada, para outros que compreendem um pouco e até para as pessoas que tem nível intermediário.:)

É isso! Espero que tenham gostado!E mãos à obra!

O museu mais POP do mundo!

Fachada do Museu de Madame Tussauds

Oi pessoal!De volta com mais um post!!! 🙂

O Museu de cera de Madame Tussauds é uma das atrações mais concorridas e obrigatórias de Londres! Lá você tem a chance de “conhecer” e tirar fotos com estrelas de cinema, esportistas, personalidades históricas, líderes mundiais, cantores famosos, além de ficar perto da família real. Aliás, a realeza está todos os lugares do Reino Unido. O lugar é fantástico e super divertido!Foi um dos lugares que mais amei em Londres!

A história do Museu começa em 1761,  na França, quando nasce  Marie Grosholtz ( que depois tornou-se a Madame Tussauds). Após a morte do pai dela,  Marie mudou-se para a casa do doutor parisiense Philippe Curtius,  onde a mãe dela era governanta. O médico tinha um acervo de trabalhos de cera em casa e foi ele quem ensinou Marie a modelá-los.  Com o tempo, ela ganhou notoriedade, passando a integrar a corte como tutora de arte da irmã do rei Luís XVI. Em 1789,  com a Revolução Francesa, Marie, como fazia parte da corte da família real, foi jogada na prisão, dividindo a cela com a futura imperatriz da França, Josephine Beauharnais (primeira mulher de Napoleão Bonaparte). Devido ao seu talento com a cera, Marie  foi forçada a mostrar lealdade, sendo obrigada a fazer máscaras de cera dos executados. As máscaras mortuárias do Rei  Luís XVI e da mulher dele, Maria Antonieta, tornaram-se um das exposições mais importantes dela.

Em 1795, Marie herda a exposição de Dr. Curtius e casa-se com François Tussaud, que deu a ela o famoso sobrenome. Em 1802, ela deixa Paris e parte para Londres. Na cidade britânica, ela notou o interesse do público inglês por celebridades. Foi a partir daí que, após 33 anos de turismo, a exposição de Madame Tussauds encontrou o lugar ideal: a rua Baker Street ( sim! A do Sherlock Holmes).

Em 1850, Madame Tussauds morre e deixa todo o legado para a família. Em 1884, os netos dela resolvem mudar a atração para a avenida Marylebone, onde fica até hoje.

Mais Curiosidades

  • Em 1933, Madame Tussauds produz a figura de Adolf Hitler.  O Museu de Madame Tussauds não escapou da Guerra que atravessou a Europa em 1939.  Uma bomba destruiu o cinema e mais 352 figuras de cera, mas a máscara de Hitler sobreviveu;
  • Dentro do Museu existe a Câmera do Horror (Scream, Chamber of Horrors), com figuras de cera de serial killers e reprodução de aparelhos de tortura utilizados na Idade Média. O ponto principal é o Scream, uma sala que, como o próprio nome suscita, é impossível não gritar! Esta sala representa a ala psiquiátrica de uma prisão de segurança máxima, em que os presos, representados por atores, andam livremente! Essa parte dá muito medo!!Eu fiquei com muito medo!
  • A parte dos  heróis é muito bacana! Tem um cinema 4D, que reproduz personagens da Marvel Comics. É como se você estivesse com eles! Vale muito a pena!
  • Prepare o bolso para ir ao museu! Há tantos souvenirs que você ficará louco (a) para comprar tudo!!!

Bilhetes: http://www.madametussauds.com/

Espero que tenham gostado!!!;)

Este slideshow necessita de JavaScript.