Roteiro IV – Bariloche

Oi pessoal!!Sei, sei que demoro a postar e tal!Acontece que, infelizmente, com trabalho e estudos, acabo por não conseguir atualizar o blog diariamente ou com tanta frequência como gostaria.  Estou fazendo o possível para escrever mais vezes! O texto de hoje é sobre Bariloche. Uma cidade belíssima, super tranquila e distante de Buenos Aires!!!

Chegando em Bariloche.

Decidimos percorrer os 1680 km que separam São Carlos de Bariloche da capital portenha. Pegamos um ônibus da empresa  Via Bariloche. Compramos a passagem no Terminal do Retiro, que fica bem próximo de Puerto Madero. Escolhemos a poltrona Tutto Letto, pois é totalmente reclinável, o que possibilitou mais conforto para encarar as 22 horas de viagem!Pode parecer cansativo, mas as empresas rodoviárias na Argentina fazem de tudo para você esquecer que vai passar tanto tempo dentro do ônibus!

É tratamento Vip, com direito a vinho, champanhe, refrigerantes e demais bebidas. É servido jantar, café da manhã e lanches. Se quiser, pode também conectar por Wi-fi ou assistir aos lançamentos de cinema na TV(detalhe: cada passageiro tem a sua!Assim, você não é obrigado a ver o que o outro quer assistir!).

Agora, vem a parte triste: o preço. O ticket custa 1650 pesos, ou seja, 825 reais (ida e volta).  Mas, se você preferir, pode ir de avião. No entanto, você pagará 400 reais a mais. A vantagem é que você chega lá em duas horas. Eu, particularmente, gostei da viagem de Ônibus. A experiência foi ótima. Além disso, a paisagem é linda. Rende muitas fotos.

No ônibus.

Ainda em Buenos Aires, tentei comprar roupas próprias para frio. Mas, desisti ao ver os preços. São extremamente caras! A segunda pele e a calça não permeável custavam mil reais nas outlets!!! Estávamos muito tensos, porque nunca vimos a neve, nem estivemos em um local tão frio!!!Comprei só uma camiseta, tida como segunda pele. Ela custou 120 reais em uma outlet. Achei tudo muito caro e decidi não comprar nenhuma roupa. Preferi alugar quando chegasse em Bariloche. Para aguentar o frio, usei várias camadas das roupas que tinha!

Quando chegamos, tive uma  grande emoção, sem falar na sorte! Estava nevando! Parecia uma criança vendo a neve caindo na minha mão! Os flocos são iguais aos dos desenhos animados e aqueles enfeites de natal! Após pegarmos as malas, fomos orientados pela Guia turística da rodoviária a comprar uma passagem de ônibus (4 pesos), que nos levaria até a sede do município. O frio era suportável.

Paramos na calle Moreno, em frente ao hotel Eldeweiss.  Em Bariloche, há várias lojas que alugam roupas de esqui. Alugar é bem mais em conta. O aluguel da roupa por 4 dias custou 250 reais. Não fiz pesquisa de preço, pois estava com muito frio!!heheheheh.

No Hostel Inn

Seguimos a pé para o Hostel Inn ( Salta St. 308 ). Para chegar lá, é necessário enfrentar uma ladeira, que aliada ao peso das malas, o peso da roupa de frio e a altitude do local, acaba tornando tudo muito mais cansativo! Ao avistarmos o hostel, mais um desafio: subir os mais de 60 degraus até chegar à recepção do albergue. Não há elevadores! Mas, a vista do Lago Nahuel Huapi da sacada do Hostel compensa (em outro post, eu comento mais sobre o Lago)!!

O quarto é limpo e arrumado. O pessoal que trabalha lá é super gente boa!Fizemos até amizade com os funcionários do hostel! O café da manhã e o jantar eram de graça! A diária no Hostel Inn custou 180 reais (quarto privado, com banheiro privado). O lugar fica bem próximo do Centro Cívico.

Chegamos às 13h do dia 05 de julho e já compramos o passeio para o Circuito Chico, que compreende o Cerro Campanário ( tido como a sétima vista mais bonita do Mundo segundo a National Geographic), a fábrica de óleos e chás de Rosa Mosqueta e Mirante. O passeio custou 380 pesos ( 140 reais). Vale muito a pena!!!

O dia estava lindo! Como tinha nevado, as copas e os galhos das árvores estavam cheios de neve. Cerro Campanário é um passeio maravilhoso! O teleférico percorre os 1060 metros de altura para nos levar até o topo do Cerro, onde há um restaurante ( experimente o Choconhaque e o croissant!!!Deliciosos). A vista é incrível. É possível ver até a divisa do Chile e há uma indicação com todos os cerros.  O passeio do telefério vale 50 pesos.

Cerro Campanário.

Depois, seguimos para a Fábrica da Rosa Mosqueta.  Para quem não sabe, a Rosa mosqueta é uma planta, originada da Europa e Ásia Central. Os óleos e cremes da Rosa são recomendados para tratamentos cosméticos, com propriedade cicatrizante. Também é utilizado no tratamento para rugas, estrias e manchas. No local, experimentamos o chá da Rosa. Não gostei muito, mas serviu para esquentar! De lá, passamos por outros pontos turísticos da região como o Llao Llao, um hotel cinco estrelas de Bariloche. É o mais chique e caro da cidade! A diária do quarto mais luxuoso custa 3 mil dólares (segundo a nossa guia!).

Depois do Circuito Chico, fomos conhecer o Centro Cívico e as ruas comerciais ( Calle Mitre e Moreno). Esta parte da cidade é cheia de chocolaterias, lojas de doces, roupas e outlets.

Ao final do dia percebemos que 3 dias em Bariloche é muito pouco, pois há muita coisa para fazer e conhecer! Recomendo no mínimo uma semana para quem quiser conhecer tudo! Bariloche é uma cidade maravilhosa e, pelo que vi em algumas fotos por lá e na internet, ótima para ser visitada em todas as épocas do ano, não só no inverno!!!.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s